A moda como agente transformador

Por Nádia Mello

Na época das grandes navegações, a roupa era uma valiosa moeda de troca. Os tecidos indianos era um dos artigos que motivaram os portugueses a tentar suas descobertas. As peças significavam também poder e posse. A necessidade de se operacionalizar a produção de tecidos e confecção foi um dos contribuintes necessários para a Revolução Industrial. As primeiras fábricas eram têxteis.

O Rei Luís XIV apresentava seu poder também pela forma como se vestia. A ideia de levar bonecas para que os reis dos outros países copiassem suas vestes mostrava como o significado da roupa é muito maior. A partir das roupas, esnobava e revelava o desprezo pelos reis ingleses ao colocar seus empregados vestidos de forma igual a eles.

Através das roupas, historiadores descobrem gostos, hábitos e costumes de uma determinada sociedade. De acordo com o que as pessoas estão vestindo, nos sentimos parte ou excluídos daquele grupo.

Apesar de tais fatos, para muitos, a moda é fútil, frívola.

Mas a moda tem um poder transformador enorme. Primeiro, em relação a autoestima e representatividade. Depois, em relação a sociedades.

A moda nos permite nos vestir de diversos papeis, conforme queiramos. Mas aquela sensação de conforto, de estar bem com uma determinada roupa nos revela que é ela que nos representa. E quando estamos bem assim, nos sentimos bonitas e a autoestima se eleva.

O vestir para entrar dentro de um padrão consome de pouco em pouco nossa confiança, abalando nossa autoestima. Por isso, é importante vermos a diversidade em estilos e beleza. Quando vemos alguém próximo daquilo que nos deixa bem, vem a sensação de pertencimento e, por mais que queiramos ser únicos, também desejamos ser parte.

Assim, por meio da moda, você começa a mudar seu mundo pessoal e isso pode te levar longe. A mim, por exemplo, me trouxe ao Desguarda Roupa. Me fez criar uma outra relação com a moda, que não diz respeito apenas de mim, mas do mundo que quero viver.

E quanto mais pessoas, marcas, iniciativas optam pela moda sustentável, o movimento ganha força. Quanto mais força se ganha, atinge a mais e mais pessoas até um momento em que os valores da moda sustentável serão os valores dessa sociedade, formada por esse grupo de pessoas. Assim, a moda vai transformando o mundo.

Portanto, meu amigo, talvez seja o momento de olhar com carinho para o seu armário e suas roupas. Começar a entender aquelas que falam de você e quanto mais você entender sobre isso, começa a aceitar quem é e se sentir bem com isso. E aí, vai querer estar junto de quem o aceita e o abraça com um “estamos junto”. Nesse caminhar junto, o mundo começa a mudar. Isso não tem nada de fútil ou frívolo. Na verdade, é a chave da transformação.

Nenhum comentário

Faça um comentário